A banda do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro e o Choro: uma possibilidade de diálogos e interações

Sebastião Nolasco Junior

Autores que tratam da historiografia da música popular brasileira, dentre eles Tinhorão (2010), Cazes (1998) e Diniz (2007), elevam a Banda do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (BCBRJ), que atuou no final do século XIX e início do século XX, a uma espécie de cânone da música brasileira. Atribuem tal prestígio ao quantitativo de gravações históricas encontradas deste grupo em relação ao total de músicas gravadas no Brasil na fase mecânica, às características desse repertório que é composto também por danças como o maxixe, e às interações ocorridas com o choro a partir da mediação cultural (VOVELLE, 2004) de personagens como Anacleto de Medeiros, regente da banda nesse período. O contato com essas informações levou ao questionamento do papel da BCBRJ no desenvolvimento do choro e às influências estilísticas que foram estabelecidas entre o repertório dessa formação musical e aquele que caracterizava o grupo menor de instrumentistas que investia “no modo peculiar de tocar” as danças europeias que aportaram no Rio.  Assim, este trabalho objetiva investigar as interações estabelecidas entre a BCBRJ e o ambiente do choro carioca do final do período em questão, buscando entender as interinfluências estilísticas estabelecidas entre os seus repertórios e as configurações socioculturais que interagiram com tal circunstância. A trajetória metodológica inclui levantamentos bibliográficos e documentais. O primeiro item, além dos autores já citados, que trazem informações sobre o choro e a BCBRJ, inclui também autores como Chartier (2002) e Hall (2015), que expõem sobre as representações socioculturais como um elemento importante no estabelecimento de processos identitários.  Já o segundo, remete a manuscritos, edições, transcrições e gravações musicais de duas obras selecionadas no repertório da BCBRJ e duas obras selecionadas no repertório de grupos de chorões atuantes no período em questão, visando análise, interpretação e comparação estilística, assim como a evidência de representações.

******

The Rio de Janeiro Firefighter Band and the Choro: a possibility of dialogues and interactions

Authors that deal with the historiography of Brazilian popular music, such as Tinhorão (2010), Cazes (1998) and Diniz (2007), elevate the Rio de Janeiro Firefighter Band (RJFB), which operated in the late 19th century and beginning of the 20th century, to a kind of Brazilian music canon. They attribute such prestige to the amount of historical recordings found from this group in relation to the total number of songs recorded in Brazil in the mechanical phase, to the characteristics of this repertoire that is also composed by dances such as the maxixe, and to the interactions that occurred with the choro based on the cultural mediation (VOVELLE, 2004) of people like Anacleto de Medeiros, regent of the band in that period. The contact with this information led to the questioning of the role of the RJFB in the development of the choro and to the stylistic influences that were established between the repertoire of this musical formation and the one that characterized the smaller group of musicians who invested “in the peculiar way of playing” the European dances that arrived in Rio. Thus, this work aims to investigate the interactions established between the RJFB and the carioca choro environment at the end of the period under discussion, seeking to understand the stylistic inter-influences established between their repertoires and the socio-cultural configurations that interacted with this circumstance. The methodological trajectory includes bibliographical and documentary surveys. The bibliographical survey, in addition to the authors cited above, which provide information about the choro and the RJFB, also includes authors such as Chartier (2002) and Hall (2015), who present the socio-cultural representations as an important element in the establishment of identity processes. The documentary survey refers to manuscripts, editions, transcriptions and musical recordings of two works selected in the repertoire of the RJFB and two works selected in the repertoire of choro groups that were active in the period under discussion, aiming analysis, interpretation and stylistic comparison, as well as the evidence of representations