Bandas de música do Baixo São Francisco Alagoano: práticas em contexto

Nilton da Silva Souza
Pablo Sotuyo

O Baixo São Francisco desenvolveu-se econômica e culturalmente a partir da hidrovia do Rio São Francisco e da condição de entreposto comercial do Porto de Penedo como escoadouro da produção agrícola, pecuarista e industrial da região do submédio e baixo rio. Numa região de divisa entre os Estados de Alagoas e Sergipe e de proximidade com a Bahia e Pernambuco surgiram práticas musicais relacionadas à Banda, particularmente do século XIX. A pouca bibliografia disponível sobre o assunto nos preocupa pelos riscos de que, sem uma pesquisa aprofundada, possamos perder parte desse patrimônio cultural brasileiro. Este trabalho tem por objetivo apresentar os resultados parciais da pesquisa de doutorado em desenvolvimento no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal da Bahia (PPGMUS-UFBA), focado no estado das práticas musicais – esboçadas a partir das noções das práticas culturais entendidas em Chartier (2002) como “o modo de fazer” particular de uma determinada sociedade –, presentes nas bandas de música do Baixo São Francisco Alagoano. Partimos da premissa de que “toda pesquisa historiográfica se articula com um lugar de produção sócio-econômico, político e cultural” (CERTEAU, 1982, p. 62). Neste sentido, apresentaremos a discussão pertinente às noções conceituais de práticas musicais e sua abrangência para o direcionamento da pesquisa, assim como um levantamento histórico das práticas musicais das bandas no contexto da região. Para Chartier (2002, p. 16-17) o objeto da história cultural é “identificar o modo como em diferentes lugares e momentos uma determinada realidade social é construída, pensada, dada a ler.” Nesses termos, os aspectos das práticas musicais foram delimitados em sua pertinência à performance e ao ensaio; à composição e à cópia; assim como ao ensino musical, visando o significado e impacto dessas práticas na organização, manutenção e disseminação das bandas na região pesquisada. O mapeamento resultante fundamenta tanto a discussão dessas práticas musicais no seu contexto, quanto a compreensão de sua importância para a historiografia musical sobre bandas em Alagoas, no nordeste e no Brasil como um todo, contribuindo assim com uma linha de estudos pouco explorada no meio acadêmico brasileiro.

******

Music bands from Baixo São Francisco Alagoano: practices in context

The Baixo São Francisco developed economically and culturally from the waterway of the São Francisco River and from the commercial warehouse of the Port of Penedo as a drainage outlet for agricultural, cattle-raising and industrial production in the medium region and low river. In a border region between the States of Alagoas and Sergipe and proximity to Bahia and Pernambuco, musical practices related to the band appeared, particularly from the 19th century. The few available bibliographie on the subject worry us about the risks that, without in-depth research, we may lose this Brazilian cultural heritage. This paper aims to present the partial results of the PhD research in development in the Post-Graduation Program in Music of the Federal University of Bahia (PPGMUS-UFBA), focused on the state of musical practices – outlined from the notions of cultural practices understood in Chartier (2002) as “the particular way of doing” of a certain society -, present in the music bands of Baixo São Francisco Alagoano. We start from the premise that “all historiographical research articulates with a place of socio-economic, political and cultural production” (CERTEAU, 1982, p. 62). In this sense, we will present the pertinent discussion of the conceptual notions of musical practices based on cultural practices, of the New Cultural History, and its scope for the direction of the research, as well as a historical survey of the bands’ musical practices in the context of the region. For Chartier (2002, pp. 16-17) the object of cultural history is “to identify how, in different places and at different times, a given social reality is constructed, thought, given to read.” In these terms, the aspects of the musical practices were delimited in their pertinence to the performance and the essay; composition and copy; as well as to musical education, aiming at the meaning and impact of these practices in the organization, maintenance and dissemination of the bands in the region surveyed. The resulting mapping bases both the discussion of these musical practices in their context and the comprehension of their importance for the musical historiography about bands in Alagoas, in the northeast and in Brazil as a whole, thus contributing to a line of studies that has not been well explored in the academic brazilian world.