Música e feminismo no Jornal das Senhoras

Alberto José Vieira Pacheco 

Em Lisboa, no início da década de 1790, foi lançado o Jornal de Modinhas e, após isto, outros tantos periódicos publicaram composições musicais em Portugal e também no Brasil. Em ambos os lados do Atlântico, estas publicações foram atores importantes na disseminação e divulgação de música urbana, em especial a de câmara ou doméstica. Vamos nos ater aqui a um exemplo notável, o Jornal das Senhoras, publicado no Rio de Janeiro entre 1852 e 1857, por uma “americana” que busca “cooperar com todas as suas forças para o melhoramento social e para emancipação moral da mulher” (Jornal das Senhoras, n° 1, p. 1, 01-01-1852). Esse jornal é considerado como o primeiro periódico “feminino” do Brasil, pelo que tem merecido alguns estudos especializados. Contudo, tem chamado menos atenção o fato de sua editora, a argentina Joana Paula Manso de Noronha, ter sido esposa do compositor português Francisco de Sá Noronha, cuja atuação musical no Brasil tem se mostrado relevante. A consequente proximidade da editora com o meio musical pode explicar a publicação de algumas composições nas páginas do Jornal das senhoras. Esta comunicação pretende apresentar uma análise do material musical ali publicado. Veremos que, graças ao próprio caráter “feminino” do periódico, as composições ali publicadas ganham significado alargado, que as leva para além do simples entretenimento doméstico e as faz merecedoras de novas reflexões no campo dos estudos de gênero. Esse repertório também será apresentado como exemplo do intercâmbio musical luso-brasileiro na segunda metade dos oitocentos.

******

In Lisbon, in the early 1790s, the Jornal de Modinhas was published, and after that other many periodicals published musical compositions in Portugal and also in Brazil. On both sides of the Atlantic, these publications were important actors in the dissemination and disclosure of urban music, especially chamber or salon music. This communication will address to a notable example, the Jornal das Senhoras, published in Rio de Janeiro between 1852 and 1857, by an “American” who seeks “to cooperate with all her forces for social improvement and for the moral emancipation of women “(Jornal das Senhoras, No. 1, p.1, 01-01-1852). This newspaper is regarded as the first “feminine” newspaper in Brazil, reason why it has deserved some specialized studies. However, the musicological community has given less attention the fact that the publisher, the Argentine Joana Paula Manso de Noronha, was the wife of the Portuguese composer Francisco de Sá Noronha, whose musical performance in Brazil has been relevant those years. The consequent proximity of this publisher to the musical medium may explain the publication of some compositions in the pages of the Jornal de Senhoras. This communication intends to present an analysis of these musical works. It will be clear that, thanks to the “feminine” character of the journal itself, the compositions published there gain a broad meaning, which takes them beyond mere home entertainment, and makes them worthy of new reflections in the field of gender studies. This repertoire will also be presented as an example of Luso-Brazilian musical interchange in the second half of the nineteenth century.